fbpx

Ferramentas de Gestão de Riscos para utilizar no seu SGQ!

Ferramentas de Gestão de Riscos para utilizar no seu SGQ!

Ferramentas de Gestão de Riscos para utilizar no seu SGQ!

Já virou até moda falar em gestão de riscos neste cenário caótico pelo qual estamos passando, não é mesmo? Certo, mas hoje vamos falar das ferramentas de gestão de riscos que podem te ajudar neste momento difícil.

A verdade é que diante da instabilidade do mercado, e do mundo como um todo, devido a essa pandemia ocasionada pelo COVID-19 e suas variantes, nenhum negócio está imune a passar por situações de risco.

É por isso que a palavra do momento é PREVENÇÃO. É melhor estudar o mercado e buscar entender as tendências do que vem por aí, do que ficar esperando a coisa acontecer e ser impactado de forma prejudicial ao negócio, e muitas vezes, até irreversível.

Aqui no Blog, o nosso foco é sempre buscar ajudar você, nosso(a) querido(a) leitor(a). Por isso, selecionamos algumas ferramentas de gestão de riscos que vão preparar o seu time para lidar com as adversidades.

Vamos lá? Segue:

3. FMEA – Análise dos Modos de Falha e seus Efeitos

A Análise FMEA (Failure Modes, Effects Analysis), é uma ferramenta utilizada para a identificação de potenciais riscos, e consequentemente, redução de falhas em produtos, processos, etc. Os resultados que podem ser obtidos com seu uso são significativos para a economia e produtividade da Organização.

Sua elaboração consiste, resumidamente, em listar as situações que podem apresentar riscos, e posteriormente montar o cálculo do risco (RPN) com base na:

  • Ocorrência (frequência em que a situação ocorre)
  • Severidade (gravidade da situação e seus efeitos)
  • Detecção (analisa-se, se o cliente pode ou não identificar a falha)

Com base nas informações coletadas, inicia-se o plano de ação para implantar as melhorias e/ou correções necessárias.

Se quiser saber mais sobre essa ferramenta, clique aqui!

2. Diagrama de Pareto

Outra ferramenta essencial para a sua gestão de riscos é o Diagrama de Pareto.

Com sua utilização, os riscos são divididos em duas categorias: “Pontos Vitais” e “Pontos Triviais”. Assim, o time divide os problemas com base na sua prioridade de ser solucionado.

Além disso, a ferramenta trabalha com a seguinte premissa: 80% dos erros são consequência de 20% dos problemas. Com isso, podemos concluir que se todos os esforços da equipe tiverem foco em 20% das falhas mais recorrentes, 80% dos problemas são eliminados.

Ou seja, após mapear os problemas e gerar o gráfico com as informações com base no Diagrama de Pareto, obtém-se de forma clara quais são as prioridades e situações que merecem maior atenção do time.

Quer ler mais sobre o Diagrama de Pareto? É só clicar aqui!

3. Análise SWOT

Essa ferramenta permite identificar fatores de importância interna – forças e fraquezas. Bem como, identificar fatores de importância externa – oportunidades e ameaças.

Com a utilização da Análise SWOT é possível ter uma visão clara do posicionamento da empresa e identificar pontos a serem repensados e melhorados.

Dessa forma, é possível desenvolver um planejamento estratégico com base na identificação e priorização das ações que realmente gerarão impactos positivos para o negócio e minimizar riscos.

Para aprofundar seu conhecimento e aplicar a ferramenta SWOT na sua gestão, leia este conteúdo aqui.

4. Checklist

Podemos dizer que o checklist é a ferramenta que complementa a gestão de riscos. Com o seu uso, todo o plano de ação é listado, evitando que quaisquer partes da estratégia seja esquecida, ou deixada de lado.

Digamos que você vai utilizar exatamente as ferramentas que listamos acima na sua gestão. Então, o Checklist inicial consiste em:

  • Aplicação da Anállise FMEA
  • Aplicação da ferramenta Diagrama de Pareto
  • Montar Análise SWOT

Nessa lista podemos concluir que o próximo passo seria montar a Análise SWOT, pois é o único item que ainda não foi marcado como concluído. Dentro as ações de cada uma das ferramentas, também é aconselhável adotar Checklist, para garantir que cada etapa do processo foi colocada em prática.

Dessa forma, garante-se a aplicação total da estratégia, e ainda, obtém-se indicadores com dados completos e confiáveis.

Já que estamos falando em ferramentas úteis para a sua gestão, que tal obter um modelinho editável gratuito de Mapeamento de Processo? Baixe clicando aqui!

E aí, o que achou das ferramentas? Já utiliza alguma delas? Tem alguma ferramenta importante para indicar?  Deixe nos comentários.

Mais do que nunca o ditado “prevenir é melhor do que remediar” deve estar presente na cultura interna de qualquer negócio que visa, não só sobreviver a este momento instável, como também se consolidar no cenário pós pandêmico.

Não deixe de acompanhar os conteúdos aqui do Blog, inscreva-se em nossa Newsletter e nós te avisaremos sempre que tiver conteúdo novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *