fbpx

7 formas de controlar a exposição a perigos na segurança dos alimentos

7 formas de controlar a exposição a perigos na segurança dos alimentos

7 formas de controlar a exposição a perigos na segurança dos alimentos

Quando o assunto é segurança dos alimentos, todo o cuidado é pouco, não é mesmo? Pensando nisso, listamos abaixo algumas práticas essenciais para resolver os desafios relacionados a exposição a perigos na segurança dos alimentos:

#1 Realizar análise de risco

Com a análise de risco é possível avaliar a probabilidade da ocorrência e a gravidade de determinado perigo. Dessa forma, torna-se possível estabelecer medidas de controle cabíveis para que o perigo seja eliminado ou reduzível ao nível aceitável.

#2 Adotar medidas que estejam de acordo com normas e regulamentos

As normas e regulamentações referentes a indústria de alimentos são fundamentais, tanto na garantir da segurança dos alimentos, como também para obter a confiança de clientes, fornecedores e outras partes interessadas.

Contudo, não basta se satisfazer com a conquista dos selos e utiliza-los apenas como forma de construir uma imagem positiva diante do mercado. Nos dias de hoje é muito difícil “enganar” os consumidores, eles estão mais atentos e criteriosos do que nunca. Portanto, arrumar a casa apenas para as auditorias não é suficiente.

A legislação deve ser imposta na cultura interna da empresa, e deve ser seguida rigorosamente.

Proteger o consumidor e garantir que alimentos seguros cheguem a sua mesa, depende da postura adotada internamente, seguindo os padrões exigidos e controlando cada uma das etapas pelas quais o alimento passa durante a sua produção.

#3 Conscientizar a equipe sobre a importância da segurança dos alimentos

É necessário que cada membro da equipe, independente de sua função, conheça as práticas que devem ser adotadas em cada etapa do processo. Não adianta elaborar um planejamento robusto, se ele não for disseminado para a equipe de forma clara e objetiva.

Todos devem ter consciência da importância de suas atividades, e de seguir as regras rigorosamente. Afinal, um passo em falso, pode desencadear consequências irreversíveis. Portanto, conhecimento e comprometimento são dois fatores essenciais para o time.

#4 Comprometimento com a montagem de Planos APPCC

Cada alimento da linha de produção, deve ter um Plano APPCC, como forma de identificar as condições de produção dos alimentos.

O fluxograma APPCC especifica as condições de cada etapa do processo, dessa forma, identificam-se possíveis perigos aos quais o alimento está exposto. Posteriormente, é adotada uma medida de controle como forma de garantir a segurança do alimento.

Se quiser saber mais sobre o que é Plano APPCC, clique aqui.

#5 Implantar as boas práticas na cultura organizacional

É claro que não poderia deixar de citar a importância da BPF (Boas Práticas de Fabricação). Este conjunto de práticas são elaboradas para garantir um ambiente seguro para a fabricação dos alimentos.

A BPF é essencial no que se refere a segurança dos alimentos e controle de perigos. Além disso, são práticas que dão sustentação aos Planos APPCC e são parte das exigências de normas importantes do setor de alimentos.

#6 Mentalidade de riscos

A mentalidade baseada em riscos é extremamente importante neste contexto. Afinal, vamos pensar juntos: é melhor identificar uma possível “contaminação” do alimento antes ou depois dele chegar à mesa do consumidor? Ou melhor, antes ou depois de chegar a sua etapa final de fabricação?

A resposta é bem simples, certo? Nesse sentido, temos que pensar em questões relacionadas a custo, produtividade, e principalmente, na ausência de riscos a saúde do consumidor.

Com a mentalidade de riscos instaurada, é facilmente percebida a otimização da produtividade e maximização da segurança e qualidade dos alimentos.

#7 Investir em ferramentas e tecnologias 

É impossível falarmos em uma gestão baseada em riscos, alimentos seguros para consumo e um controle de qualidade eficaz, sem pensar em boas ferramentas que sejam aplicáveis ao contexto da organização.

Investir em boas metodologias e softwares é fundamental quando o assunto é segurança dos alimentos. Um exemplo de solução que deve ser considerada nesse sentido, é o Software Qualis 22, que automatiza a montagem de Planos APPCC, reduz riscos e melhora consideravelmente a produtividade do time.

A indústria de alimentos se encontra em uma posição onde está diretamente ligada a saúde de seus clientes, logo, trata-se de uma grande responsabilidade. Os riscos existem e não há como evitar, por isso, é obrigação da equipe ter reponsabilidade e comprometimento em cada etapa, e em cada mínimo detalhe do processo.

Essas dicas podem ajudar, e muito nesse sentido. Portanto, leia-as com atenção e não deixe de aplica-las na rotina de trabalho, como forma de driblar os perigos e garantir a segurança dos alimentos.

Assine a nosso newsletter e receba notificações sobre novos conteúdos. Nossa missão é ajuda-los nessa jornada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *